Voluntário por inteiro
Série III - PROGRAMA 6

Voluntário por inteiro

O nosso príncipe Márcio Silva não só é sensível à forma como a sociedade trata os idosos, como é activo na atitude de mudança: “Passa simplesmente por começar a bater à porta daqueles velhinhos que estão sozinhos (…) e perguntar se eles estão bem, se precisam de alguma coisa. Não custa dinheiro, não custa absolutamente nada e não há crise que consiga destruir este sentimento de preocupação com os outros!”.

De acordo com os resultados dos Censos 2011, Portugal tem mais de um milhão e 200 mil idosos a viver sozinhos ou na companhia de outros idosos. A população idosa está a aumentar: por cada 100 jovens com menos de 15 anos existem 126 habitantes com mais de 65.

Márcio Silva é enfermeiro, tem 33 anos, vive em Vila Nova de Gaia e integra, desde 2010, a equipa dos Médicos do Mundo. É ainda bombeiro voluntário em Valadares e colabora, também como voluntário, na delegação de Gaia da Cruz Vermelha.

Os dias de Márcio parecem ter muito mais do que 24 horas! Acompanhámos um desses dias, na cidade do Porto, em visitas a alguns idosos que contam com o apoio deste enfermeiro de colete dos Médicos do mundo vestido.

Eduarda Melo, de 65 anos, vive com o marido no terceiro andar de um prédio antigo, sem elevador, no centro da cidade. Há quatro anos sofreu uma hemorragia cerebral e, desde então, está confinada à cama. Com profundas limitações a nível de mobilidade, é apenas através da sua janela que vê um minúsculo pedaço do mundo.

O Sistema Nacional de Saúde não tem resposta a nível de transporte para esta senhora poder fazer fisioterapia, o que agrava significativamente o seu estado. No último ano, saiu três vezes de casa, graças à ajuda dos Médicos do Mundo.

Com uma reforma de invalidez na ordem dos 350 euros, o dinheiro nem sempre chega para os medicamentos. O marido, António Melo, está a ver o fim das economias de uma vida inteira de trabalho.
Esta é uma das histórias que fazem parte do testemunho do voluntário Márcio Silva que revelam bem a urgência em mudar a atitude da nossa sociedade em relação aos idosos.

Aproveitemos o mote de estarmos a viver o Ano Europeu do Envelhecimento Activo e da Solidariedade entre Gerações e façamos o que está ao nosso alcance!

Contacto da ONG Médicos do Mundo: http://www.medicosdomundo.pt/

Todos os conteúdos desta página de internet não são escritos segundo as regras do novo Acordo Ortográfico.
Vídeo
Fotografias:
  • A Dona Olívia Cardoso tem 87 anos, viúva, não sabe ler nem escrever, começou a trabalhar com apenas 12 anos! Só sai do quarto com a ajuda do enfermeiro Márcio para descer as escadas, inevitáveis para ir à sala de estar.
  • Eduarda e Anónio Melo estão casados há 24 anos. Agora, mais do que nunca, sempre juntos na doença da mulher! Vivem no terceiro andar de um prédio antigo do Porto, sem elevador. No último ano, Dona Eduarda saiu apenas três vezes de casa.
  • Como enfermeiro de reabilitação, nos Médicos do Mundo, Márcio Silva conhece de perto a realidade dos idosos no nosso País: "É muito bonito dizer que os idosos têm que passear, mas depois é preciso ir buscá-los para os levar a passear e fazer exercício físico e isso eu não vejo. (…) Eu não me gostaria de ver idoso assim!"
  • Cerca de um terço da população idosa vive na Região Norte do País. Dona Eduarda vive no terceiro andar de um prédio antigo, sem elevador, no Porto. As visitas do enfermeiro Márcio tiram, por alguns instantes, esta senhora da escuridão do quarto. “Ele é um anjo”, palavras de Dona Eduarda.
  • Mais de um milhão e 200 mil idosos vivem sozinhos ou na companhia de outros idosos, em Portugal. Dona Eduarda tem 65 anos, há quatro sofreu uma hemorragia cerebral. Desde então vive a maior parte dos seus dias na cama, na companhia da televisão, dos gatos que tanto gosta e sob os cuidados do marido, António Melo.
  • A ausência de resposta do sistema Nacional de Saúde em relação ao transporte para fazer fisioterapia agravou a doença desta senhora. Agora, as possibilidades de melhoria são muito limitadas!
  • António Melo cresceu no meio do vinho, em Penafiel. Conheceu o lado abundante de uma vida com muitas condições, era um privilegiado, mas agora conta os cêntimos para comprar o mínimo necessário à sobrevivência do casal. “A gente não controla a vida, a vida é que nos controla”.
  • No município do Porto, há 13 mil casas ocupadas por idosos que vivem sozinhos. O projecto Terceira (C)idade dos Médicos do Mundo pretende aumentar a autonomia e qualidade de vida da população idosa do concelho. Neste momento, há mais de 40 idosos a beneficiar deste apoio.
  • 20% da população idosa vive abaixo do limiar da pobreza, com menos de 366 euros por mês! O casal Melo vive com uma reforma de invalidez no valor de 351 euros mensais e com as economias que estão agora a chegar ao fim.
  • Na última década, o fenómeno do duplo envelhecimento agravou. Por cada 100 jovens menores de 15 anos, há 129 habitantes com mais de 65 anos. Os números alertam para a urgência em mudar a atitude da nossa sociedade em relação aos idosos.